“Sexo seguro é o casamento”, diz Pastor Nelson Junior da campanha Eu Escolhi Esperar

Se você é um jovem cristão, de até 30 anos, sem dúvidas já ouviu falar do personagem da entrevista de hoje. O pastor Nelson Junior (@NelsondoEEE) é coordenador e idealizador da campanha de preservação sexual e integridade emocional mais conhecida do Brasil, a Eu Escolhi Esperar. Criada em 2011, em Vila Velha, no Espírito Santo, hoje possui mais de 3 milhões de fãs na página do Facebook, 1 milhão de seguidores no Instagram e mais de 700 mil inscritos no canal do Youtube. Em 2015 depois de uma twitcam a hashtag #euescolhiesperar esteve entre os assuntos mais comentados do microblog no Brasil, durante dois dias. Nos últimos anos, a campanha conseguiu ultrapassar as barreiras da internet e se tornar um seminário com sessões lotadas ao redor do Brasil.

O Cristão Diferentão foi saber mais sobre esse fenômeno direto com a fonte. Conversamos com o Pastor Nelson Júnior após a última sessão do seminário Eu Escolhi Esperar, na Assembléia de Deus Vitória em Cristo, Zona Norte de Natal.

[Cristão Diferentão] Qual a maior dificuldade de ter um ministério voltado para os jovens?

[Nelson] Eu não digo dificuldade, mas desafio. As coisas hoje mudam muito rápido por causa da tecnologia e do excesso de informação, por isso é preciso estar muito antenado com o que está acontecendo a cada ano, para que você consiga acompanhar a vibe, a pegada, para o discurso não ficar desnivelado à geração. Então o desafio é estar sempre se atualizando, reciclando, estar sempre ligado.

[Cristão Diferentão] Acha que falar de sexualidade na igreja ainda é um tabu?

[Nelson] Sim, ainda é um tabu. Sexualidade é um tabu na igreja, na televisão, é um tabu em todas as esferas sociais porque quem fala de sexo fala de uma maneira imoral, às vezes devassa, o que [o sexo] não é, não reflete a realidade. E também há pessoas que quando falam caem no outro extremo, que é falar com muito puritanismo, com muitas regras, né. A gente precisa achar equilíbrio.

[Cristão Diferentão] Então você acha que é importante falar de sexo dentro da igreja?

[Nelson] É fundamental para os nossos relacionamentos, para os nossos casamentos. A sexualidade está diretamente ligada a todas as áreas da nossa vida e nos influencia.

[Cristão Diferentão] Eu vi uma entrevista sua em que você falava que os problemas sociais poderiam ser evitados através da preservação sexual. O que essa afirmação diz?

[Nelson] Eu acredito que há uma série de desordens sociais que na verdade é conseqüência de uma falta de preservação, como por exemplo, gravidez na adolescência. É um problema de ordem social de saúde pública no Brasil, mas a TV continua estimulando e despertando a sexualidade precocemente; é como enxugar gelo. É como combater a dengue só com paracetamol, mas como se combate a dengue? Com trabalho preventivo que é combater os focos do mosquito da dengue. A questão da sexualidade é a mesma coisa. Como combater a gravidez na adolescência se você vê as pessoas estimulando os adolescentes a terem suas experiências sexuais? É complicado.

[Cristão Diferentão] Existem outros problemas que você apontaria como vindos da falta de preservação sexual?

[Nelson] Outra desordem social, o desajuste familiar, o alto índice de divórcio. As pessoas não levam a sério a importância de desenvolver relacionamentos saudáveis, relacionamentos duradouros. Hoje, há um estímulo muito grande à promiscuidade. As doenças sexualmente transmissíveis, são outro problema. A gente acha que dando camisinha para as pessoas resolve mas, pra mim, o sexo mais seguro que existe é se guardar um para o outro. Eu não tenho chance nenhuma de contrair uma doença sexualmente transmissível, por exemplo, porque eu só tenho uma parceira minha vida inteira e eu fui o único parceiro da minha esposa. E, se nós continuarmos sendo os únicos parceiros fielmente nisso, a gente não tem risco nenhum de pegar uma doença. Pra mim, essa é a maior evidência lógica de que a preservação sexual faz sentido e é a maior evidência que o sexo seguro é o casamento.

[Cristão Diferentão] O que você diria que mudou no pastor Nelson de 2011, quando tudo começou, para o pastor Nelson de hoje?

[Nelson] Ah, todos nós precisamos crescer, com certeza pastor Nelson de 2020 vai ser bem diferente do que o de 2017. Acho que o segredo da vida é sempre estarmos abertos a melhorar, sempre recomeçar. Sempre há alguma coisa a evoluir na gente, e nos tornar pessoas melhores, mas também serve pro outro lado. Algumas pessoas vão no caminho inverso e se tornam pessoas piores, mas sempre é possível melhorar. Eu vejo em minha vida. Se eu melhorei, sou muito otimista em relação ao futuro, se eu sendo um vacilão fui capaz de melhorar, imagina as pessoas que estão lendo essa entrevista.

[Cristão Diferentão] Vi uma entrevista sua em 2011, quando o projeto tinha uns 100 mil seguidores nas redes sociais e você já estava empolgado e otimista com o futuro. Hoje em dia já ultrapassa 3 milhões de fãs. Você esperava que o EEE chegaria onde está hoje?

[Nelson] Não imaginava jamais, não fazia ideia e sou muito grato a Deus. Todas as manhãs eu acordo e agradeço pelo privilégio que ele me deu de participar de um trabalho como esse, é muito bom. Sou muito grato por poder inspirar pessoas e ajudar pessoas a viver algo melhor para suas vidas, eu me sinto muito privilegiado. Melhor do que ganhar na mega sena ou qualquer salário desse mundo é você poder ajudar pessoas e inspirar pessoas num mundo tão caótico como o nosso.

[Cristão Diferentão] O que nós podemos esperar do futuro do EEE?

[Nelson] Gerações passam, né? Sexualidade é um tema que nunca vai sair de moda, tem sido assim desde os dias de Noé, é um assunto que nunca morre, nunca se esgota. Sempre virão outras gerações, daqui a pouco são minhas filhas que darão continuidade e as filhas das minhas filhas, de geração em geração.

[Cristão Diferentão] Porque esperar é a melhor escolha?

[Nelson] Algumas razões eu citei aqui, existem consequências. Eu sou muito convicto pelos frutos que eu vejo na minha vida e pelo testemunho que eu vejo na vida de outras pessoas. Há uma frase que diz “contra fatos não há argumentos”, então, quando eu vejo os fatos, os frutos, não só na minha vida, porque eu não sou um caso à parte, mas na vida de tantas pessoas que eu vou encontrando por todo o Brasil que falam “eu também esperei”, “eu também sou fruto”, “eu nem conhecia [a campanha], na minha época não tinha esse seu trabalho, mas eu também esperei e hoje eu tenho uma família abençoada”, isso só fortalece as minhas convicções de que realmente é uma benção.

 

Nelson Junior é casado com Ângela Cristina, também idealizadora e coordenadora da campanha, pai de Ana Carolina e Milena. É pastor desde 1998, formado em Teologia pelo IBAD, é da Igreja em Vitória e membro da Associação de Pastores Evangélicos de Vila Velha. Trabalha com jovens e adolescentes há pouco mais de 20 anos.

Reporter: Vinicius Castro / Revisão: Mayra Moraes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s